Publicado abr 25, 2016

Adotando uma visão de longo prazo

Empresa de reciclagem de Montana (Estados Unidos) usa uma prensa tesoura e um triturador da Metso para obter vantagem em um mercado competitivo.

Ninguém pode ficar parado por muito tempo na indústria de reciclagem e a Pacific Steel and Recycling, maior recicladora de sucatas da Intermountain Northwest, não é exceção. A Pacific possui 46 filiais nos estados de Washington, Idaho, Utah, Nevada, Wyoming, Dakota do Sul, Dakota do Norte, Colorado, Montana e Alberta, no Canadá. A divisão de reciclagem da empresa processa por ano cerca de 500.000 toneladas de sucata ferrosa e não ferrosa.

Para enfrentar o aumento da concorrência e os preços em queda no mercado de sucata, a Pacific procura constantemente maneiras de simplificar as operações e aumentar a sua eficiência. Por isso, quando a Pacific decidiu iniciar as obras da nova unidade de reciclagem de sucata em Billings (Montana), em 2011, o tempo e o esforço necessários foram empregados para desenvolver o melhor projeto possível para a planta. De acordo com Pat Kons, Vice-Presidente, Operações de Sucata, "Naquele momento, dissemos: 'Como podemos construir a instalação mais eficiente do país?' Este foi o desafio que lançamos a nós mesmos, e o conceito da planta surgiu desse processo." Ken Halko, Vice-Presidente de Produtos Ferrosos e Comercial, diz:" Conversamos com diversas outras empresas que tinham desenvolvido novos projetos. Visitamos essas empresas e perguntamos como eles desenvolveram o layout, 'o que vocês fizeram certo e o que vocês não fariam de novo?".

A mesma atenção aos detalhes ficou evidente quando chegou o momento da compra de equipamentos para a planta. De acordo com Pat Kons, "Antes de comprarmos os equipamentos - e fizemos isso tanto para as prensas tesouras como para o triturador, fizemos uma avaliação interna cuidadosa com nossos gerentes e equipe executiva. Também desafiamos os fornecedores e dissemos 'OK, queremos ver o seu equipamento, queremos falar com as pessoas que operam o equipamento e ouvir essas pessoas'. Então, fizemos várias viagens, visitando locais diferentes", diz ele,"e foi assim que decidimos pela compra dos produtos Metso. Não ouvimos apenas o lado do pessoal de vendas e engenheiros, ouvimos também os operadores das máquinas, que lidam diretamente com os equipamentos e ouvimos o que eles pensavam."

Pontos-chave

A instalação de reciclagem de sucata da Pacific em Billings possui um shredder 80/104 e uma prensa tesoura PowerCut 1025 da Metso. O shredder é acionado por um motor de 3.000HP, triturando carrocerias de automóveis fora de uso, eletrodomésticos e outras sucatas metálicas em pequenos pedaços, capaz de processar de 10 a 12 mil toneladas por mês. (a referencia 80 refere-se ao diâmetro do rotor com os martelos em posição de operação, enquanto 104 seria a largura nominal do rotor). O shredder 80/104 da Metso em Billings distingue-se por ser o primeiro dedicado a trituração de automóveis instalado no estado de Montana. A Pacific construiu uma planta para drenagem de última geração em Billings para remover todos os fluidos dos veículos antes da trituração. O shredder pode triturar completamente um carro em menos de 30 segundos, separando todo o material ferroso. Os demais materiais que compoem o veiculo são processados em aproximadamente 2 minutos e meio, em um sistema de separação que recupera os materiais não ferrosos, de maior valor agregado.

A prensa tesoura PowerCut 1025 da Metso foi projetada para atender necessidades de médio e grande porte para cortar sucata volumosa. As prensas tesouras Metso PowerCut oferecem um processo de corte de alta eficiência. Contando com um estampo que antecede o corte, este exerce forças no material de tal maneira que sua quebra ocorra antes mesmo do contato com a guilhotina. Como resultado, o desgaste e a força de cisalhamento necessária são consideravelmente reduzidos. A prensa tesoura PowerCut instalada em Billings é uma das quatro unidades idênticas da Metso que foram adquiridas pela Pacific para aumentar a capacidade de processamento de sucata. As outras prensas tesouras da Metso estão instaladas em operações da Pacific em Spokane, Washington, Nampa e Pocatello, em Idaho. A Pacific também opera um segundo triturador 80/104 da Metso em sua planta em Mayfield, Idaho, nos arredores de Boise.

Maior qualidade

Uma das vantagens da PowerCut da Metso deriva da densidade e qualidade dos fardos de sucata produzidos. "Todo mundo está procurando por pequenos fardos de sucata de alta qualidade", diz Pat Kons, "e as prensas tesouras da Metso produzem o melhor pacote que você pode fornecer. As siderúrgicas amam nossa sucata". As prensas tesoura PowerCut da Metso apresentam um compactador lateral e uma tampa de compressão que comprimem a sucata mais do que o exigido pela abertura de corte, resultando num fardo de sucata com densidade excepcionalmente alta. Ken Halko acrescenta, "Tudo gira em torno da qualidade. A siderúrgica liga e diz que vai adquirir nossas 6.000 toneladas e não a dos nossos concorrentes por conta da nossa qualidade. É isso o que nos mantém à frente. Nosso foco nunca foi quantidade, e sim qualidade".

Além da qualidade ser fundamental, as prensas tesoura da Metso também aumentaram a capacidade de produção. De acordo com Marshall Knick, Gerente Regional, "O tempo de ciclo da prensa tesoura da Metso é fenomenal. Antes da Metso, fazíamos 2.000 cortes, agora estamos fazendo de 6 a 8.000 cortes. O aumento de produção, combinado com a qualidade dos fardos de sucata, abriu novos mercados para a Pacific Steel. "Agora podemos produzir sucata também para fundições", diz Knick. "Sim, nós podíamos fazer isso antes, mas o tempo de ciclo era maior e, antes que você percebesse, tinha se passado um mês. Então você perde várias oportunidades. Com os equipamentos da Metso agora atuamos em mercados que antes não tínhamos capacidade para estar".

 

Tyler Collins, Ken Halko, Patrick Kons e Marshall Knick da Pacific Steel.


A alta densidade dos fardos de sucata também ajuda a reduzir os custos operacionais e de transporte. "Para nós, é importante enviar os materiais o mais próximo do limite de peso para transporte", diz Kon, “e essa máquina nos ajudou a chegar lá. Antes, com a sucata mais leve, necessitavamos de mais recursos humanos e de máquinas para despachar nossos produtos de uma maneira mais eficiente, mas que elevava nossos custos. Se estamos satisfeitos com o investimento que fizemos? Sim, com certeza, porque ele nos ajudou muito."

Os custos de transporte são um fator importante na região do país na qual a Pacific opera, que é pouco povoada. A Pacific construiu um ramal ferroviário com 400 metros de extensão para conectar a usina de Billings a uma linha da Montana Rail Link (LMR) que percorre a Coulson Road. "Tudo gira em torno do escoamento dos nossos produtos", diz Ken Halko, "e o nosso ponto chave é a ferrovia. Sem ferrovia, não podemos nos mover".

Propriedade dos empregados

A Pacific Steel and Recycling começou há mais de 100 anos, com apenas um funcionário em Spokane, Washington. Em 1880, Joe Thiebes emigrou da Alemanha para o estado de Washington e seguiu a tradição de negócios de sua família na comercialização de couros e peles. O filho de Thiebes, também chamado Joe, mudou-se para Montana, onde oficialmente fundou a Pacific Hide and Fur Depot em 1920.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a empresa expandiu seus negócios para além de peles e couros, coletando sucata ferrosa e não ferrosa. Esse empreendimento de sucata, eventualmente, levou a empresa a ramificar-se na década de 1950 para a venda de novos produtos de aço. O envolvimento ativo da família Thiebes nos negócios chegou ao fim no início da década de 1980, mas até hoje a Pacific continua a ser uma corporação 100% ESOP (Employee Stock Ownership Plan - Plano de Propriedade de Ações dos Empregados).

A longa história da Pacific na indústria de reciclagem, bem como a estrutura de propriedade dos funcionários, tem contribuído para o seu sucesso contínuo em um ambiente de negócios desafiador. A estrutura ESOP motiva os funcionários a buscarem a redução de custos, aumento da produção e melhorias dos serviços ao cliente - todos elementos que ajudam a manter a competitividade da Pacific.

Essa cultura de propriedade e trabalho em equipe também significa que as decisões são tomadas considerando-se o impacto a longo prazo. "Está funcionando para nós no momento, nesta economia difícil", diz Pat Kons, “mas posso dizer com toda a certeza que as prensas tesouras e trituradores da Metso são um investimento a longo prazo. Somos uma empresa de cento e vinte anos de idade", continua,"e se vamos investir em equipamentos, queremos que eles estejam aqui daqui a alguns anos. Essa é a nossa mentalidade: é tudo sobre a próxima geração de empregados ESOP. Consideramos um investimento de trinta a quarenta anos. Foi isso o que contratamos."

"Trabalhar com clientes como a Pacific Steel and Recycling, que adota uma visão comercial de longo prazo, é muito importante para nós na Metso", diz Bob Pfeffer, Gerente de Produto – Prensas Tesouras & Enfardadeiras. "Queremos ser parceiros confiáveis ​​para nossos clientes, não apenas no momento da compra do equipamento, mas durante toda a vida útil das máquinas e também depois. Oferecer serviços de nível mundial para nossos clientes é algo que buscamos todos os dias."

Produtos relacionados